Fazer e Vender

Fazer e Vender

O que dá prazer em fazer, dá para vender

Vender é o combustível do empreendedor.

 

“A oportunidade de empreender não tem idade. Um projeto desenvolvido na região do abc paulista, visa capacitar idosos com mais de 60 anos e aposentados para a criação dos seus próprios negócios e, consequentemente, para a volta desta população ao mercado de trabalho. Inicialmente, a estimativa é que cerca de 500 pessoas sejam atendidas pela iniciativa.”

De acordo com as estatísticas, a população com +60 anos tende a crescer cada vez mais, atualmente essa população representa 14,4%, em números algo em torno de 29 milhões de pessoas. Os números são atraente para empreendedor de qualquer idade. Porém é sabido que os valores das aposentadorias são em geral muito baixos, o que leva muitos idosos a buscarem formas de aumentar a renda.

As oportunidades

A pessoa idosa, quer e precisa de algo que lhe dê satisfação, sinta-se útil. Buscam novas formas de interagir, aprendendo coisas novas, como informática por exemplo, com essas novas habilidades já surgem ótimas oportunidades, com uso da tecnologia desenvolverem algo a partir de casa, atuando no mercado online, seja com e-comerce, afiliado, divulgador ou outros serviços compatíveis com as habilidades de cada um.

Os hobbies

Os hobbies são fontes de inspiração para a maioria dos idosos empreendedores. Um exemplo: cultivar orquídeas, cujo cultivo exige cuidados e paciência, porém tem um ótimo valor no mercado, pela beleza e delicadeza, são vendidas em feiras, lojas e eventos relacionados. Outro segmento muito em alta atualmente é o mercado de pets, uma da formas de empreender nesse sub nicho: confeccionar e vender lacinhos para cachorro e gato, os donos desses bichinhos estão sempre em busca de novidades.

As dificuldades da burocracia

O que mais desestimula o empreendedorismo para qualquer idades é sem dúvidas os entraves para formalizar um negócio, não é diferente na terceira idade, seja ele que tamanho for, embora já exista formas simplificadas como o MEI – que significa Micro empreendedor individual, pelo que se observa ao que optaram por essa forma simplificada, é uma mistura de falta de conhecimentos da legislação e habilidades em gerir o negócio criado. A crise econômica, a falta de acompanhamento, pode ser uma das principais causas de falências desses novos negócios de suma importância para o para e economia.

Empreender é viver e viver exige lutas! Vamos difundir essa causa e levar amais e mais pessoas, até que os nossos gritos sejam ouvidos.

Almir Viana – Gestor profissional, empreendedor por paixão

Envie seu comentário